Após "volta ao mundo", Damiris se incorpora à seleção: "Estava bem ansiosa"

08.11.2019   |   Seleção Feminina Adulta
Compartilhe Facebook Twitter

O grupo ainda não está completo, mas o Brasil ganhou um reforço importante nos treinos para o Pré-Olímpico das Américas. Após uma "volta ao mundo" e 28 horas de voo, Damiris Dantas chegou da Coreia do Sul para trabalhar com o restante das meninas no Rio de Janeiro. Importante no grupo do técnico José Neto, a ala/pivô contou para o site da CBB o "perrengue" que ela já se acostumou para deixar a Ásia e chegar na América do Sul. Apesar do cansaço, uma certeza ela tem: vale a pena.

Foto: Divulgação/CBB

- Foi bem complicadinho. Saí da Coreia do Sul até Doha, no Catar. Foram 10 horas. E depois de Doha para São Paulo mais 15 horas. Fiquei em São Paulo cinco horas porque o voo atrasou. É bem cansativo, mas quando chega aqui, vale a pena estar com as meninas, estar nesse momento tão importante do basquete feminino, me preparar com o time, isso faz total diferença. Agora é descansar, treinar - disse Damiris Dantas.

Incorporada ao grupo, Damiris confessa que estava ansiosa. É que pela internet ela acompanhava da Coreia do Sul as meninas treinando. Por conta das datas FIBA, os clubes não são obrigados a liberar os atletas antes. Assim, Damiris só conseguiu chegar na quarta-feira.

Damiris ao lado de sua tradutora na Coreia do Sul. Foto: Divulgação/CBB

- Estava bem ansiosa, confesso. A minha tradutora falou comigo, calma, você já vai para o Brasil. Estava ansiosa para estar com as meninas. A minha última preparação com as meninas foi na Olimpíada. Estou muito animada. Estamos no caminho certo - explicou a jogadora.

Aos 26 anos, Damiris passou por Jundiaí, Celta de Vigo, Ourinhos, Maranhão, Americana e na WNBA foi jogadora do Minnesota Linx e do Atlanta Dream. Novamente no Linx, onde jogou a última temporada, ela está agora na Coreia do Sul pelo terceiro ano enquanto a liga americana está em recesso. Atuando pelo Busan, ela já se adaptou ao país.

- É a minha terceira temporada, não podemos repetir time na Coreia do Sul. Fui a primeira escolha no Draft, já estou adaptada, os coreanos gostam bastante de mim, e tenho uma tradutora que é muito minha amiga, e muito engraçada. Estou adaptada com a vida lá. Agora é bem frio, -25ºC, mas tenho possibilidade de conhecer um país diferente, viver uma cultura diferente, então eu gosto - citou Damiris.

Foto: Divulgação/FIBA

O foco agora é treinar e se preparar para o Pré-Olímpico das Américas, entre os dias 14 e 17 de novembro, em Bahía Blanca, na Argentina. O Brasil estreia no dia 14 contra os EUA. Depois, pega a Colômbia no dia 16 e a Argentina no dia 17. Como os EUA estão classificados para a Olimpíada, o Brasil precisa ser melhor que Colômbia e Argentina para se classificar para o Pré-Olímpico Mundial, que acontece em fevereiro.

Damiris mostrou-se satisfeita com o momento do basquete feminino brasileiro e com os cuidados da CBB com a seleção.

- Estou muito feliz com essa nova fase que o basquete feminino está vivendo. A gente está no caminho certo. Mas o mais legal é sentir todo esse apoio e carinho. Isso nos fortalece muito. Estamos sendo muito acolhidas pela CBB, pela comissão técnica. A comissão quer saber como estou, se estou bem, o departamento médico me procura, pergunta. Estou me preparando bem para estar com o time, para conseguirmos a vaga olímpica. Seria a minha terceira Olimpíada.

Ligas chanceladas
lnb lbf
Os Wodens!
Topo