Vânia e Vanira Hernandes compartilham o amor pelo basquete em projeto voltado para crianças

14.05.2019   |   Por onde anda?
Compartilhe Facebook Twitter

As gêmeas Vânia e Vanira Hernandes deixaram a sua marca na Seleção Brasileira. A dupla, que conheceu o basquete nas aulas de Educação Física da escola, fez parte de importantes momentos com a camiseta verde e amarela. Vânia gravou seu nome na primeira equipe brasileira de basquete feminino que chegou aos Jogos Olímpicos, realizado em Barcelona, em 1992. As ex-jogadoras relembraram momentos marcantes em suas carreiras iniciadas nas quadras paulistas.

Após muitos desafios e conquistas, Vânia deu sequência ao amor pelo basquete fora das quadras. Natural da capital de São Paulo, a jogadora passou pelos clubes Vila Maria, Higienópolis, Catanduva, Bauru Tênis Clube e Prudentina, onde foi campeã paulista, brasileira e sul-americana. A campeã do Pan-Americano de Havana, em Cuba, 1991, se descreve como uma mulher extremamente realizada e feliz, além de uma apaixonada pelo esporte.

“Sou muito grata pelo o que aprendi com o esporte. O basquete, em especial, foi muito importante enquanto estive na função de atleta, e agora continua sendo na minha atual função que é lecionar”, contou Vânia que é graduada em Educação Física e Pedagogia, mestre em Psicologia do Esporte e hoje cursa pós-doutorado também em Psicologia do Esporte.

A primeira convocação da ex-pivô foi para o Sul-Americano Juvenil em Lima, com o treinador Edson Ferreto, onde foi campeã, em 1981. Pela Seleção Brasileira suas principais conquistas são a medalha de prata na Copa América, no Brasil, em 1989; a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Havana, em 1991; duas medalhas de ouro em Campeonatos Sul-Americanos, a primeira no Brasil, em 1986, e depois no Chile, em 1989.

Sua principal característica em quadra sempre foi a garra e a determinação que colocava em quadra durante os jogos. “A vivência como atleta me ensinou muito sobre o respeito com o próximo. Na prática, eu levo para os meus alunos os ensinamentos não só técnicos, mas aqueles que estão interligados a valores. Eu gosto de fazer com que os alunos se interessem pela modalidade e absorvam tudo de importante que o esporte pode agregar na vida de uma pessoa”, completou.

Sua irmã Vanira também traz no currículo inúmeros títulos no basquete nacional, como oito vezes Campeã Paulista, entre outros. Sua primeira convocação para a Seleção Brasileira foi ainda na categoria juvenil, em 1980, para o Sul-Americano. Depois disso, foi convocada para a Seleção Adulta no Pan-Americano de Indianapolis, em 1987.

“Temos uma vida toda dentro do basquete e isso ajudou muito no que fazemos hoje. Hoje, além de atuar lecionando em universidades, também trabalho na área de elaboração e gestão de projetos esportivos para as Leis de Incentivo ao Esporte. Eu ajudo atletas e equipes de todas as modalidades a pleitearem recursos perante as leis”, explicou Vanira.

As ex-atletas são docentes do ensino superior e fundaram o Centro de Formação de Atletas de Basquetebol Vânia e Vanira. Trata-se de um projeto que atende crianças de 6 a 13 anos. A escolinha foca em trabalhar o aprendizado do basquetebol, exercícios de agilidade, coordenação motora, velocidade, equilíbrio, força e resistência, percepções sensorial, temporal e espacial, atividades em grupo, atividades recreativas e pró-desportiva.

“Hoje todo trabalho tem sido orientado pelos profissionais da área de educação física. Nos reunimos sempre para discutir e falar sobre o projeto. Por falta de tempo, não estamos mais diretamente atuando dentro da escolinha. Mas é a realização de um sonho nosso que deu muito certo”, finalizou Vânia.

 

Ligas chanceladas
lnb lbf
Os Wodens!
Topo