De volta à Seleção, Leandrinho lamenta desfalques, aposta na molecada e mira os Jogos de Tóquio: "A seleção sempre foi minha prioridade"

11.09.2018   |   Seleção Masculina Adulta
Compartilhe Facebook Twitter

Foto: Divulgação/CBB

Fora dos confrontos contra Venezuela e Colômbia válidos pela janela de junho e julho das classificatórias para a Copa do Mundo FIBA 2019, na China, Leandrinho está de volta à Seleção Brasileira. Cem por cento recuperado dos problemas físicos que o tiraram das quadras em boa parte da temporada passada, o ala/armador esbanja confiança para os duelos diante de Canadá, nesta quinta-feira (13), em Montreal, e Ilhas Virgens, no próximo domingo (16), em Goiânia, e prevê vida longa com a camisa do Brasil.

- Enquanto eu tiver gás e o treinador me der abertura sempre estarei presente e à disposição para ajudar. Graças a Deus estou muito bem fisicamente, sou um cara que gosta de estar sempre treinando, principalmente musculação na academia, mas também outras coisas importantes. A Seleção Brasileira sempre foi e sempre será minha prioridade - afirmou o experiente ala/armador de 35 anos, que planeja disputar sua terceira Olimpíada em 2020, na cidade de Tóquio.

Mas antes de chegar ao Japão, Leandrinho tem outro roteiro em mente: a China, sede da próxima Copa do Mundo masculina de basquete, marcada para o ano que vem. E com apenas uma derrota em seis partidas, a Seleção Brasileira comandada pelo croata Aleksandar Petrovic conta com a experiência do ex-jogador de Franca para conquistar uma das três vagas do grupo F da classificatória das Américas e estar lá.

Atualmente sem clube, o jogador reconhece que não está no mesmo ritmo de jogo dos demais companheiros. Mas isso não chega a ser um problema para quem já foi eleito o sexto homem da NBA e detém um anel de campeão pelo Golden State Warriors. Com anos de Seleção na bagagem, Leandrinho sabe que só os jogos lhe devolverão o ritmo ideal para ajudar o Brasil.

- Estou um pouco fora de ritmo sim, mas acho que vou pegar com os treinos e a correria que estamos fazendo agora, isso está sendo maravilhoso para mim. Só posso agradecer à comissão técnica que tem me proporcionado esse trabalho no dia a dia. Conforme a Seleção for jogando eu vou recuperando o ritmo aos poucos, mas não existe medo até porque faço isso há muitos anos. É como andar de bicicleta, ninguém desaprende - afirmou o camisa 19 da Seleção.

Além dos treinos puxados que estão sendo realizados em Montreal desde o último sábado, o ala/armador conta ainda com a confiança do técnico Petrovic para reforçar a Seleção Brasileira nesta quinta-feira, diante dos canadenses.

- O Leandro é um jogador muito importante para nós quando está em forma e deu para perceber que ele se preparou muito bem nesses últimos dois meses para voltar a jogar em alto nível. Todos sabem de sua importância para a Seleção por se tratar de um jogador importante nos dois lados da quadra, tanto no ataque como na defesa. É claro que nos preocupa o fato dele não estar jogando, mas meu maior receio é mais para frente. Eu tenho certeza que vamos nos classificar para o Mundial e miro seu futuro na Seleção. Estou muito contente por ele estar conosco novamente. Apesar da falta de ritmo, sei que vai nos ajudar muito nessas duas partidas - prevê o treinador da Seleção Brasileira.

Se o retorno de Leandrinho aumenta ainda mais a confiança de Petrovic para os confrontos diante de Canadá e Ilhas Virgens, as ausências de jogadores importantes como Raulzinho, Cristiano Felício, Rafael Hettsheimeir e Scott Machado atrapalham bastante na visão do ala/armador da Seleção. O que não significa que ele não acredite numa vitória brasileira em solo canadense. Muito pelo contrário. Para o ex-jogador de Toronto, Phoenix e Golden State, os jogos são resolvidos dentro de quadra.

- Claro que eles fazem muita falta, são jogadores que atuam na NBA, que sabem jogar, que já estiveram com a gente e disputaram uma Olimpíada e um Mundial, mas hoje o nosso grupo é esse, com vários jovens talentos e muito capaz de conquistar dois bons resultados. É lógico que eles terão vários jogadores que atuam na NBA, mérito deles e que considero muito bacana, nós já estivemos nessa situação antes, como tantos outros países, mas o jogo é dentro de quadra e temos tudo para jogar de igual para igual. Nós já nos conhecemos bem, estamos trabalhando duro e temos que continuar jogando na nossa correria e marcar muito forte. Sabemos que será um jogo um pouco mais difícil do que foi contra a Venezuela, que infelizmente perdemos, mas acho que eu, o Huertas e o Varejão, que somos os mais experientes, sabemos bem o que precisamos fazer para ganharmos - explicou Leandrinho.
 

 

FIBA
Os Wodens!
Topo