Coordenador de Arbitragem da CBB, Vander Lobosco Jr. fala sobre o trabalho de capacitação e renovação de árbitros e oficiais de mesa

08.06.2018   |   Arbitragem
Compartilhe Facebook Twitter

Vander Lobosco Jr., Coordenador de Arbitragem da CBB

Com a arbitragem no sangue, seu pai foi um excelente árbitro internacional, o niteroiense Vander Lobosco Jr., 42 anos, é o Coordenador de Arbitragem da Confederação Brasileira de Basketball (CBB) e tem levado à frente um trabalho constante de desenvolvimento e capacitação de árbitros e oficiais de mesa, preparando-os para os ambientes nacional e Internacional através da filosofia da FIBA.

Nessa entrevista exclusiva, Vander, que é formado em Educação Física, fala um pouco de sua trajetória no basquete, do trabalho que vem sendo desenvolvido na CBB e das novidades que estão por vir no campo da arbitragem. Confira!

 

Como foi o início da sua carreira?

Vander Lobosco - Comecei em 1997 apitando os Jogos Católicos de Niterói e durante três anos apitei jogos escolares e de veteranos no Rio de Janeiro. Em 1998 fiz meu primeiro curso de arbitragem ministrado pelo meu pai, que foi um excelente Árbitro Internacional. Em 2001 fiz o curso da Federação do Rio de Janeiro onde tive muitas oportunidades. Em 2007 me tornei Árbitro Nacional e em 2008 consegui minha primeira licença FIBA como Árbitro Internacional.

 

Em quais competições e jogos internacionais você já atuou?

Vander Lobosco - Atuei em campeonatos mundiais, sul-americanos, campeonatos pré-mundiais e desde 2004 nas ligas nacionais masculina e feminina no Brasil. Tive a oportunidade de estar presente em 18 competições Internacionais pela FIBA durante os nove anos em que atuei como Árbitro Internacional e em mais de 40 competições de base no Brasil.

 

E qual foi o jogo mais difícil que você apitou?

Vander Lobosco - Para mim foi uma série de playoff entre Franca e Uberlândia onde apitei o 1º e o 3º jogos da série e em ambos as equipes visitantes venceram por 1 ponto na última jogada. Esses jogos foram marcantes.

 

Como é para você estar hoje no cargo de Coordenador de Árbitros da CBB?

Vander Lobosco - Em 2015 me tornei Diretor de Árbitros da FBERJ e desde sempre procurei fazer o trabalho de desenvolvimento da Arbitragem alinhado com a CBB e a FIBA. Quando recebi o convite para estar na CBB, entrei em contato com o Sr. Geraldo Miguel Fontana, que foi Diretor de Árbitros da CBB e hoje é Diretor de Árbitros da FIBA Américas, e logo busquei estarmos alinhados para realizar um trabalho em parceria para o desenvolvimento da Arbitragem Brasileira.

Hoje o objetivo do Departamento de Arbitragem da CBB é o desenvolvimento e a capacitação dos Árbitros e Oficiais de Mesa, preparando-os para os ambientes Nacional e Internacional através da filosofia da FIBA.

Tenho constante suporte do Fontana na questão de organizar acampamentos de Arbitragem no Brasil e videoconferências nos campeonatos de base. Esse trabalho em conjunto com a FIBA Américas faz com que o Árbitro esteja mais próximo da realidade a nível mundial, pois o investimento em Árbitros novos será constante com o objetivo de termos uma nova geração de árbitros para atuarem nas competições de base no Brasil e nas ligas nacionais adultas.

 

Como é realizado o seu trabalho?

Vander Lobosco - Eu tenho uma equipe de trabalho em que cada pessoa tem sua função e responsabilidade. Por exemplo, no Basquete 3x3 o Marco Antônio Ferreira e a Fernanda Sá são os Coordenadores, no trabalho de conteúdos técnicos para formação e informação dos Oficiais atuam o Enaldo Batista e o Joaquis Feitosa, com os Oficiais de Mesa atuam a Silvia Puertas, a Claudia Molina e o João Carlos Marson, e no trabalho de preparação física está o Ramiro Inshauspe que recentemente, através do trabalho realizado conosco na CBB, foi convidado para ser Preparador Físico de Árbitros da FIBA Américas.

Realizamos um trabalho de preparação direta para o árbitro, onde no período pré-competição eles realizam treinamentos físicos, provas on-line, vídeos de treinamento e durante as competições são mais efetivos com feedbacks constantes no pós-jogo.

 

Quais são suas tarefas especificamente?

Vander Lobosco - O foco é buscar uma padronização a nível nacional e por isso realizamos constantes treinamentos com determinados grupos de árbitros. Minha responsabilidade é estar atualizado com o que acontece nas Federações e para isso mantenho contato com os departamentos de arbitragem para saber o trabalho que está sendo desenvolvido nos estados. Estamos formando uma equipe com idade entre 18 e 27 anos para que possamos ter uma renovação efetiva.

Tenho a responsabilidade de informação de conteúdos de regras e interpretações, a seleção e planejamento das equipes de arbitragem para atuar nas competições, gerenciamento e treinamento das equipes de arbitragem antes e durante as competições e a realização dos Acampamentos de Arbitragem nas Federações com objetivo de, além de capacitar o quadro existente, detectar talentos com potencial nacional e internacional.

 

Com relação à Arbitragem Feminina, como está sendo realizado o trabalho?

Vander Lobosco - Hoje utilizamos as competições de base para o desenvolvimento dos Árbitros. Nesta semana estamos na Copa Brasil de Clubes Feminino Sub-14 e Sub-16 onde pela primeira vez no Brasil temos uma equipe de Arbitragem formada somente por mulheres. Esse acontecimento é excelente para o desenvolvimento da Arbitragem Feminina. São 16 meninas de 11 estados representando quatro regiões do País. Em breve teremos outra competição com equipe feminina.

Nessa competição especificamente, as Árbitras passaram por 60 dias de treinamento físico, estudo das regras e análise de vídeos e durante a competição está sendo possível realizar efetivamente feedbacks da parte administrativa e técnica do jogo. Temos meninas com potencial internacional a ser desenvolvido e logo esse trabalho renderá frutos. Algumas delas atuam nos campeonatos adultos masculino e feminino e com isso o intercâmbio se torna um grande facilitador para as menos experientes. Estou vendo um crescimento da equipe com as informações pós-partida realizadas pelos Instrutores e o próprio feedback entre elas.

 

 

FIBA
Os Wodens!
Topo