Liderado por Varejão, Brasil convence, bate a Venezuela e assume a liderança do grupo B das classificatórias

27.11.2017   |   Seleção Masculina Adulta
Compartilhe Facebook Twitter

Pivô anota um duplo-duplo de 16 pontos e 12 rebotes e comanda vitória brasileira por 72 a 60 no Rio de Janeiro

A boa atuação na estreia das classificatórias pelo visto foi só um aperitivo. Em grande forma física novamente, Anderson Varejão mostrou em apenas um quarto que definitivamente estava com saudade da cesta. Foram 10 dos 16 pontos e sete dos 12 rebotes anotados apenas nos 10 minutos iniciais. Mas não foi só o ex-pivô de Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors que estava em uma noite inspirada. Com uma atuação coletiva bem mais consistente do que contra o Chile, a seleção comandada por Aleksandar Petrovic dominou a Venezuela do início ao fim, venceu por 72 a 60 (39 a 20) e assumiu a liderança isolada do grupo B das Américas na caminhada rumo a uma vaga na Copa do Mundo da China em 2019.

 

O JOGO

O primeiro quarto foi todo do Brasil. Liderado por Anderson Varejão, que com 10 pontos e sete rebotes ficou perto de um duplo-duplo já no primeiro período, a seleção começou quente e não deu qualquer chance para o quinteto venezuelano. Sem Gregory Vargas, Ruiz e Cubillán, armador do Flamengo, os visitantes erravam demais, não conseguiam parar o sistema ofensivo dos brasileiros e viram os donos da casa fecharem os 10 minutos iniciais vencendo por 19 a 7.

Como na estreia diante do Chile, Petrovic trocou por atacado e o Brasil foi para o segundo período apenas com Benite dos titulares em quadra. Com Fischer, Léo Meindl, Rafael Hettsheimeir e Lucas Mariano em quadra, a seleção seguiu com o jogo nas mãos e manteve a diferença de 12 pontos. A Venezuela, por sua vez, continuava abusando dos arremessos errados. A seleção não tinha nada com isso e continuou implacável. Já com Yago em quadra, os donos da casa aumentaram o ritmo, fizeram 8 a 4 nos dois minutos finais e foram para o intervalo com uma confortável diferença de 19 pontos.

O Brasil voltou diferente para o segundo tempo. Com Yago e Léo Meindl nos lugares de Fúlvio e Benite, respectivamente, a seleção sufocou os visitantes nos primeiros três minutos, fez 9 a 4 e aumentou sua vantagem para 24 pontos. A seis minutos do fim do terceiro quarto, Anderson Varejão virou o joelho numa queda, deu um susto no banco brasileiro e foi substituído por Lucas Mariano. ]

O time sentiu a saída de seu principal jogador. Em pouco mais de dois minutos, a Venezuela fez nove pontos seguidos e diminuiu o prejuízo para 15 pontos. Petrovic parou o jogo na hora. O pedido de tempo surtiu efeito e a diferença pulou para 18 pontos com duas boas jogadas de Lucas Mariano. O Brasil, no entanto, oscilava demais e os venezuelanos se aproveitaram para diminuir o prejuízo que chegou a ser de 24 pontos para apenas 12.

Com Varejão e Fúlvio de volta, o Brasil abriu o quarto período com uma bola de três de Benite. Mas a Venezuela não se entregava. Com a pontaria calibrada nas bolas de três, os visitantes diminuíram para apenas oito pontos a seis minutos para o fim. Quando parecia que o jogo ficaria perigoso, Hettsheimeir acertou uma bola de três a dois minutos do fim para aumentar a vantagem para 16 pontos e tranquilizar o torcedor que compareceu em bom número à Arena Carioca 1. Nos minutos finais, a seleção só teve que administrar o tempo para garantir a vitória por 72 a 60.

Clique aqui para acessar o álbum de fotos.

Créditos: Marcos Tristão/CBB

FIBA Conheça também:
Os Wodens!
Topo