Notícias

23/01/2012
BASQUETE DO FUTURO ELETROBRAS NÚCLEO TAUBATÉ

Foto: Divulgação
img
Eduardo outuck e Luana Cristina Botta
OS TALENTOS SEGUEM SENDO DESCOBERTOS BRASIL AFORA. VEJA AS ENTREVISTAS COM OS ATLETAS LUANA BOTTA E EDUARDO OUTUCK DO PROJETO DO BASQUETE DO FUTURO ELETROBRAS DO NÚCLEO DE TAUBATÉ (SP)

Taubaté / SP - Luana Cristina Botta e Eduardo outuck foram atletas da equipe de Taubaté (SP), das categorias sub-15 e sub-14, respectivamente, em 2011. As duas estrelas taubateanas são frutos do trabalho desenvolvido pelo Núcleo do Basquete do Futuro Eletrobras da cidade do interior paulista. Na entrevista concedida, eles falaram um pouco sobre como o esporte da bola laranja mudou a vida deles.

Por que basquete?
LUANA – Sempre gostei muito do esporte.

EDUARDO – Amo basquete. Amo competir e praticar o esporte, além de me ajudar a fazer amigos.

Quais são seus objetivos no basquete?
LUANA – Meu objetivo é continuar jogando basquete e quem sabe servir a seleção brasileira. Nesse momento, quero ajudar minha equipe a subir de nível na competição, além de continuar a ser exemplo para o Núcleo do Basquete do Futuro de Taubaté, mostrando que as outras crianças podem vencer tanto quanto eu.

EDUARDO – Por enquanto encaro o basquete apenas como diversão, mas espero que através do esporte eu consiga uma bolsa de estudos, seja agora em um colégio ou mais tarde na faculdade.

Qual a importância do Basquete do Futuro Eletrobras?
LUANA – O Projeto é uma grande oportunidade para futuros jogadores da cidade e da região. O Núcleo atende crianças da cidade, que estão em zona de risco social, pois no projeto elas encontram apoio e orientação que muitas vezes não possuem em casa. Além disso, a vivência de competição acaba sendo uma consequência necessária, para a evolução do projeto e das crianças, pois aprendem conceitos de vida que vão usar no futuro como mães, pais, profissionais e pessoas de bem.

EDUARDO – O basquete faz parte da minha vida e minhas grandes amizades estão aqui na quadra. Participar do Núcleo me fez crescer como pessoa, me fez amadurecer, ser mais responsável, pois vi que eu me tornei exemplo para outras crianças mais novas que fazem a escolinha. Isso me deixa muito orgulhoso. Além disso, é muito legal poder usar a marca da CBB na camisa.

O que gostaria de dizer a quem esta iniciando no Núcleo Basquete do Futuro?
LUANA – Treinar, treinar e acreditar em quem está nos orientando. Aqui em Taubaté a qualidade do trabalho dos professores é muito boa. Em minha opinião, eles conseguem desenvolver o grupo com qualidade, sem excluir nenhum aluno e isso nos motiva sempre.

EDUARDO – É incrível poder participar, pois você se integra e aprende a conviver com pessoas diferentes, e isso praticando esporte. Isso faz você mudar e entender melhor o todo na sua volta. Aprendi a valorizar tudo que tenho e agradeço pela oportunidade de poder fazer parte de um Projeto como esse.

LUANA FOI A SEGUNDA CESTINHA DO CAMPEONATO PAULISTA E A MELHOR MÉDIA DE PONTOS, MESMO SUA EQUIPE NÃO CONSEGUINDO SE CLASSIFICAR PARA OS PLAYOFFS

Como você recebeu a notícia?
LUANA – Foi algo que eu não esperava. Achava que por ser meu primeiro ano seria mais difícil desenvolver meu jogo, mas os sistemas que usamos em Taubaté, somado aos conceitos de iniciação do Projeto permitiram que eu tivesse um bom resultado de forma natural e sem pressão. Parece que nada é impossível, desde que, trabalhemos com novos limites o tempo todo. É tudo sem pressão, mas como isso funciona? é melhor perguntar aos meus técnicos! (risos).

Você estará com 20 anos de idade na época das Olimpíadas do Rio em 2016. Você sonha em representar o Brasil?
LUANA – Sim e muito. Quero representar meu país e crescer no esporte. Acho que é o sonho de todo atleta, mas também quero servir de exemplo para as crianças e ajudar a dar visibilidade ao trabalho realizado pelo Núcleo do Basquete do Futuro de Taubaté. Quero ajudar a trazer mais crianças para o esporte, evitando com que estivessem nas ruas fazendo coisa errada.