Notícias

01/04/2017
AMAURY, MARQUINHOS E KANELA PODEM INTEGRAR NAISMITH MEMORIAL BASKETBALL HALL OF FAME

Foto: Divulgação/CBB
img
Amaury, Kanela e Marquinhos são os brasileiros indicados
Phoenix, Estados Unidos - Os brasileiros Amaury Pasos, Marquinhos Abdalla e o saudoso Togo Renan Soares (Kanela) poderão adentrar ao Naismith Memorial Basketball Hall of Fame, localizado em Springfield (EUA), que é uma das honrarias máximas do basquete mundial. Os três foram pré-selecionados na Classe de 2017, que foi anunciada oficialmente em dezembro de 2016, junto com outros nomes importantes da modalidade.

“Esse momento não é meu, pertence ao Brasil e aos jogadores que fizeram esse esporte tão grande; os meus companheiros de batalhas. São mais dois pré-selecionados: Amaury Pasos, que dispensa comentários, pois foi um cara fantástico em todos os aspectos, especialmente no caráter como homem, jogador de decisão e vencedor; o falecido Kanela, que me deu todas as oportunidades na vida para ser, realmente, o jogador que fui, pois sempre me incentivou, me levando a Seleção Brasileira com 17 anos para disputar um Mundial; até hoje guardo lindas lembranças dele e me sinto muito honrado em ter sido seu atleta”, explica Marquinhos.

O carioca Marcos Antonio Abdalla Leite estreou na Seleção Brasileira com apenas 18 anos, em 1970, e ajudou a equipe nacional na conquista da medalha de prata no Campeonato Mundial da Iugoslávia. No ano seguinte, foi campeão no Sul-americano do Paraguai e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Cali, na Colômbia. Nos 15 anos que defendeu o Brasil, o pivô disputou três edições dos Jogos Olímpicos (Munique 1972, Moscou 1980 e Los Angeles 1984), quatro Campeonatos Mundiais (Iugoslávia 1970, Porto Rico 1974, Filipinas 1978 e Colômbia 1982), quatro Jogos Pan-americanos, cinco Sul-americanos e três Torneios Pré-olímpicos.

“Esta é a segunda vez que sou indicado e não sei qual é o critério que eles levam em consideração para selecionar os que irão fazer parte do Naismith Memorial Basketball Hall of Fame na Classe de 2017, mas estou aguardando o que vai ser determinado. Os outros dois brasileiros são muito bem indicados pelo que fizeram pelo basquete, especialmente o Kanela, que foi o nosso técnico mais vencedor, por isso, eu acredito que dentre todos os que estão na lista, ele seja um dos maiores merecedores de fazer parte do Hall of Fame”, acrescenta Amaury.

O paulista Amaury Pasos jogou pelo Brasil por 16 anos e é considerado um dos mais completos jogadores brasileiros de todos os tempos. Foi um dos protagonistas da época de ouro do basquete nacional e conquistou vários títulos como o bicampeonato mundial (Chile 1959 e Brasil 1963) e a medalha de prata no Mundial de 1954, no Rio de Janeiro. Nos Jogos Olímpicos, ajudou o Brasil a ganhar duas medalhas de bronze: Roma (1960) e Tóquio (1964). Amaury também conquistou duas medalhas nos Jogos Pan-americanos (bronze em 1955, na Cidade do México; prata em 1963, na cidade de São Paulo), além de ter sido três vezes campeão sul-americano (1960, 1961 e 1963).

O saudoso paraibano Togo Renan Soares, o Kanela, tem uma história no basquete que se dividiu entre a Seleção Brasileira e o CR Flamengo. Comandou a equipe nacional bicampeã mundial no Chile 1959 e no Brasil 1963 e conquistou as medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de Roma, em 1960, e de Tóquio, em 1964. Ele foi ainda o técnico do Brasil em mais dois vice-campeonatos mundiais (1954 e 1970) e bronze no Mundial de 1967. Nos Jogos Pan-americanos, Kanela conquistou uma medalha de prata (1963) e dois bronzes (1951 e 1959). No CR Flamengo, ganhou 12 títulos cariocas, incluindo um inédito decacampeonato estadual entre 1951 e 1960.

O anúncio dos selecionados para a Classe de 2017 ocorre nesta segunda-feira (dia 03), no ‘NCAA Final Four’, em Phoenix (EUA). “Estou na torcida pelos nossos representantes – Amaury Pasos, Marquinhos Abdalla e o técnico Kanela –, pois todos eles tiveram uma história muito rica no basquete nacional e internacional, com conquistas e feitos importantes e sensacionais. O Naismith Memorial Basketball Hall of Fame agrega os jogadores mais importantes do nosso esporte e creio que os três brasileiros tenham grandes chances e totais condições de pertencer a este seleto grupo de notáveis”, finaliza Guy Peixoto, presidente da Confederação Brasileira de Basketball (CBB).