Notícias

18/02/2017
DESCONTRAÍDO, OSCAR APROVA “ESTREIA” NA NBA: NÃO ERREI UM ARREMESSO

Foto: Getty Images
img
Oscar mostrou que continua com a mão calibrada e teve 100% de aproveitamento nos dois arremessos que tentou no jogo
Mão Santa faz brincadeiras, dá risadas e se diverte antes, durante e depois da vitória de sua equipe no Jogo das Celebridades do All-Star Game, em Nova Orleans, EUA

Nova Orleans, EUA – Descontração! Esse foi o espírito de Oscar no dia em que fez a sua "estreia" na NBA aos 59 anos de idade, nesta sexta-feira à noite, quando ajudou o time do Leste a vencer o Oeste por 90 a 57, no Jogo de Celebridades do All-Star Game. Antes, durante e depois da partida em Nova Orleans, o Mão Santa não economizou nas brincadeiras, deu entrevistas falando que queria ganhar o prêmio de MVP, "reclamou" de ter jogado pouco tempo e no fim fez piadas.

Mas a verdade é que na parte séria mesmo, Oscar mostrou que continua com a mão calibrada e teve 100% de aproveitamento nos dois arremessos que tentou no jogo, marcando quatro pontos nos 11 minutos que ficou em quadra. Depois da partida, em meio a mais brincadeiras na frente das câmeras, aprovou a sua atuação no evento festivo da liga americana de basquete,

“Foi uma ótima estreia, ganhamos o jogo fácil, meti duas bolas, não errei um arremesso, peguei rebote, mudei a defesa duas vezes para zona e abrimos diferença no placar, isso que vale”, analisou o brasileiro.

Em seguida, o jeito descontraído de Oscar roubou a cena.

“Agora eu espero que esse tenha sido o meu último jogo mesmo, porque treinar para jogar pouco é muito mais difícil. Eu era a arma secreta do time, tão secreta que joguei só um pouquinho. Eu fiquei livre um monte de vez, mas não passavam a bola, ninguém me via, parece que eu tenho 1,50m, mas eu tenho 2,05m. Mas paciência. Agora falando sério, gostei muito de todas as homenagens, do jogo, da diversão”, afirmou, aos risos.

Durante o jogo, Oscar foi bastante aplaudido e incentivado por familiares e amigos que acompanharam tudo da beira da quadra. Depois, feliz com a vitória, o Mão Santa deixou de lado a "decepção" por não ter sido escolhido o melhor jogador da partida e ainda deu um tênis autografado de presente para Brandon Armstrong. Famoso por fazer imitações dos jogadores e publicar vídeos na internet, ele atuou no mesmo time de Oscar, marcou 16 pontos e pegou 15 rebotes e foi o MVP.

Por Tiago Leme / Globoesporte.com